Sim! Irará tem B. Boys

Postagem original em 03/05/2012 16:50 – por: Roberto Martins

382-2

Jovens mostram talento na primeira Batalha de Hip Hop da cidade

Quem tava mesmo a fim de ver, se amontoava em volta do palco da Praça Pedro Nogueira (Matriz). Outros transitavam aos arredores, davam um “saque”, ouviam o som. Só não dava era para ficar indiferente ao que acontecia por ali.

No palco, 14 meninos disputavam o título da primeira batalha de Hip Hop de Irará. As vitrolas eram pilotas pelo Dj Branco, do Estação Hip Hop da Rádio Educadora. A apresentação estava por conta do B. Boy Ananias.

No júri, o Diretor Municipal de Cultura, Rafael Fontes; a produtora de eventos, Sandra Felix; o DJ Jaime; e o professor, Gilmar Souza. E a plateia, inteiramente empolgada, gritava e torcia pelos seus favoritos.

A competição já foi no inicio da noite. Na primeira etapa foram sete disputas. Cada B. Boy (abreviatura do inglês “Black Boy”- “Menino Negro”) tinha a oportunidade de apresentar os seus passos de dança frente ao seu oponente. O som rolava e eles se movimentavam bastante. Alguns faziam até provocações ao adversário.

Finais

Os sete vencedores se garantiram na etapa quartas de finais. Através de um sorteio entre os nomes dos sete perdedores, um teve direito a voltar (repescagem) para completar os oito presentes nas quartas.

Mais quatro disputas e se chegou aos semifinalistas. Após duas disputas nas semifinais, a decisão ficou por conta dos irmãos Jonhatas Brito (Jonhy) e Jefferson Brito (Jeffy). Disputaram o terceiro lugar Adelino (Capacete) e Danilo Rodrigues (Yugy).

Durante a disputa do terceiro lugar “Capacete” teve um breve mal estar e desistiu da competição. Ele ficou com a quarta colocação e “Yugy” ganhou o terceiro lugar.

A disputa final foi acirrada. Os irmãos “Jonhy” e “Jeffy” mostram bastante equilíbrio em seus passos. A decisão ficou difícil e para o júri terminou empatada com dois votos para cada lado. Foi a plateia quem desempatou a favor de Jeffy. O “B. Boy Jeffy” então se tornou o primeiro campeão de Hip Hop de Irará.

Premiação

Para fazer a entrega dos prêmios o B Boy Ananias chamou o professor e vereador pelo PC do B, Ubiratan S. Reis; o Dj Jaime; e a Sra. Maria Aldelice, mãe dos primeiro e do segundo colocado. Todos fizeram um breve pronunciamento na entrega dos troféus, mas foi a mãe dos B. Boys vencedores que roubou a cena.

O B. Boy, Ananias destacou o seu papel de torcedora incentivando os meninos enquanto eles dançavam. Isto bastou para alguém da plateia dizer que ela também dançava. A “mãe-coruja” foi prontamente convidada para fazer uma breve apresentação.

No começo Maria Adelice se mostrou tímida, mas se soltou quando o Dj Branco mandou “Beat It” de Michael Jackson. Ai ela dançou bastante até ser acompanhada pelos filhos. Depois falou brevemente para o público e mandou um recado para os pais de um modo em geral. Pediu para deixar os pré-conceitos de lado e apoiar os dotes artísticos dos filhos.

Ensaios

Para alguns foi surpresa, para outros não. Segundo a capoerista do Porto da Barra, Olívia Roberta, uma das organizadoras do evento, já há algum tempo os B. Boys de Irará estão mostrando a cara. Eles costumavam ensaiar na Praça do Lazer, agora se exercitam na Praça da Matriz.

Naquele mesmo dia, pela manhã os meninos tiveram um bate-papo sobre o movimento Hip Hop. À tarde foi realizada uma breve oficina de duas horas com o B. Boy Ananias. As atividades aconteceram no Casarão dos Santanas, cedido para o grupo pelo Movimento Cultural Viva Irará.

Planos

O idealizador da Batalha, Edilton de Jesus, auxiliar na Biblioteca Genésia Santana, no Casarão dos Santanas, informou da existência do grupo Black Boys em Irará. Ele contou que a grupo é formado por 12 jovens e todos eles se inscreveram na Batalha. Os jovens são oriundos da Avenida Elísio Santana, do Loteamento Porteiras, do Cruzeiro da Queimada e de outras localidades.

Edilton, considerado produtor do grupo pelos próprios membros que o chamam de “empresário”, fala em voos mais altos. Ele pensa em formalizar o Black Boys, montar equipe de meninas, fazer projetos de aulas para os mais novos e até gravar um filme do movimento.

São planos para o futuro, estimulados pelo dia anterior. Era ressaca de uma noite de apresentações e aplausos do público. Apesar de alguns problemas estruturais, como a falta de isolamento entre público e artistas, entre outros, a 1º Batalha de Hip Hop de Irará, marcou a cena na cidade. E aquele 29 de abril pode vir a ser lembrado como dia da comprovação da sentença: “Sim! Temos B. Boys em Irará”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s