Estudantes do CSACI praticam o FREE HUGS em Irará

Postagem original em 11-03-2013 18h17m

579-2

Vídeo ABRAÇO FREE dos estudantes teve quase 600 acessos em cinco dias

 

Campanha chama atenção para reflexão sobre temas como ‘gentilezas’, ‘anglicismos’ e comportamentos sociais

O que você faria se, no meio da rua, aparecesse alguém que você não conhece querendo lhe abraçar? E se esta pessoa tivesse uma placa na mão na qual se poderia ler “Abraço de Graça”?

Pode parecer inusitado, mas isto vem se tornando cada vez mais frequente no mundo inteiro e já acontece em Irará também. Trata-se do movimento “Free Hugs”, que em tradução livre significa “Abraço de Graça”.

Início

O movimento começou em Sidney na Austrália no ano de 2004 e ganhou o mundo. A proposta foi iniciada pelo australiano Juan Mann. Após passar um tempo na Inglaterra, Mann teve problemas e precisou voltar para Sidney.

Ao chegar, Mann se encontrava sozinho no saguão de desembarque do aeroporto. “Ninguém para me dá boas vindas, nenhum lugar para fazer uma ligação telefônica. Eu era um turista em minha própria terra natal”, conta o australiano, no site oficial do movimento “Free Hugs”.

Diante da situação, Mann pegou um cartão e escreveu “Free Hugs” (Abraço de graça). Ele diz que por 15 minutos as pessoas apenas passaram por ele. Depois, a primeira pessoa que o abraçou lhe contou que o cachorro dela tinha morrido naquela manhã.

Vídeo

Mann seguiu praticando o “Free Hugs” e recebeu apoio de Shimon Moore, vocalista da banda Sick Puppies. Depois de dois meses filmando a campanha, Moore montou um vídeo-clipe com as imagens, tendo como trilha sonora a música “All the same”.

Depois de colocado no Youtube, o vídeo tornou-se um dos mais populares da internet e foi consagrado como o clipe oficial da banda Sick Puppies. Com o sucesso do clipe, a campanha ganhou o mundo, chegou em diversas partes do Brasil e recentemente a Irará.

Irará

Aqui na terra “nascida da luz e do sol”, o “Abraço de Graça” foi praticado por estudantes do CSACI – Colégio Social de Aprendizagem e Cultura Integrada.

O colégio trabalhava o tema “gentileza” em todas as turmas. Ao discutir a temática na turma do 2º ano do Ensino Médio, a professora de Redação, Cristiane Tavares, apresentou o clipe do “Free Hugs” aos alunos.

Diante do vídeo, os estudantes ficaram empolgados e foi decidido que duas equipes da turma praticariam a ação em Irará. Eles batizaram a campanha de “Abraço Free” e foram às ruas.

“A primeira sensação quando oferecíamos abraços era de espanto, mas depois que eles sentiam a alegria de ser abraçados, saiam com um belo sorriso no rosto. Isso nos dava a sensação de dever cumprido”, conta o estudante, Iago Ferreira, membro de uma das equipes.

Iago também revelou que os estudantes visitaram o Hospital Dr. Deraldo Miranda levando abraços e carinhos aos doentes lá internados e que eles já estão se mobilizando na intenção de fazer uma visita aos idosos da Casa Jesus Maria José.

Composição

A equipe da qual Iago faz parte, também é formada pelos alunos Alexandre Macedo, Ayalla Dantas e Karina Cunha. Juntos eles compuseram a música “Abraço Free”, especialmente para a ação. Depois, eles montaram um vídeo, com as cenas da campanha em Irará, tendo a composição como trilha sonora.

O vídeo, publicado no Youtube no dia 06 de março, até o momento do fechamento desta matéria, já tem 595 visualizações, com apenas cinco dias de exibição. O material também foi bastante comentado e compartilhado no Facebook.

A outra equipe do 2º ano do CSACI a realizar o “Free Hugs” em Irará é formada pelos estudantes Iago Pires, Lucas Wairich, Higor Santana e Vitor Santos. Eles também pretendem mostrar a ação desenvolvida através de um vídeo, ainda em fase de conclusão.

Anglicismo

Batizado em Irará, pela equipe de Iago Ferreira, de “Abraço Free”, em outros lugares do Brasil, como em Jacareí – SP, a importação do “Free Hugs”, ganhou versão totalmente traduzida sem qualquer palavra do título na língua inglesa, sendo denominado de “Abraço de Graça”.

A professora de Redação, Cristiane Tavares, contou ter questionado aos alunos a presença do termo em inglês na placa. Ela disse ter mencionando até a existência de pessoas que possivelmente não entenderiam o significado. Entretanto, disse a professora, ainda assim, os alunos quiseram manter o termo “free”.

Vale lembrar que “free”, significando gratuidade, já é um “anglicismo” freqüente nos diálogos juvenis, muitas vezes entendido até como “gíria”. “Anglicismo” é a importação de palavra de origem de língua inglesa para o cotidiano da língua portuguesa.

Cristiane Tavares também confessou não ser uma professora “apegada a questões puritanas”. “Língua é dinâmica e sofre influência de fatores externos. Os alunos sempre fazem esse diálogo. A gente orienta, mas não cerceia totalmente”, afirmou a professora.

Consumo

Seja com termos em inglês ou não, o fato é que a campanha “Free Hugs”, que já foi realizada em diversas partes do mundo, agora chegou a Irará também. E junto com ela vem a “alegria de quem recebe um abraço”, a “sensação de dever cumprido” de quem realiza ação e também reflexões sobre o seu caráter “espetacular”.

Para a psicoterapeuta Vera Felicidade, a campanha é um sintoma da sociedade de consumo. Ela diz concordar que o sucesso de um movimento como o “Free Hugs” é reflexo de uma sociedade pouco solidária, na qual há tempo escasso para gentilezas, como abraçar ou cumprimentar uns aos outros, até entre parentes, amigos ou conhecidos.

“ “Abraço” agora é mais um produto para ser consumido. Em uma sociedade de consumo, tudo vira produto a ser consumido, inclusive o abraço, por isso a campanha”, afirmou a psicoterapeuta.

Reflexões

Reflexões como as de Vera, demonstram que com a importação do “Free Hugs” para Irará, os alunos do CSACI conseguiram muito mais do que fazer uma “ação de gentileza”. O gesto deles e o sucesso do vídeo nas redes sociais podem incentivar discussões sobre temas mais aprofundados.

Em pauta surgem facilmente temas como “Anglicismo”, “sociedade de consumo”, “celebridades instantâneas na internet”, “sociedade espetáculo”, entre tantos outros. E, como todos sabem, com discussões e reflexões a educação se faz mais forte.

Imagem: Facebook de Iago Ferreira

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s